Bloco que reúne PT e MDB, G8 terá Eduardo Rocha e Cabo Almi como líderes

Demora na definição de lideranças atrapalha tramitação de projetos na Casa

Com a composição das Comissões da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul emperradas por falta de definição dos blocos, o G8, composto por deputados do PT e MDB, se definiu nesta quinta-feira (13) na presidência em reunião após a sessão a indicação de Eduardo Rocha (MDB) e Cabo Almi (PT) para serem os líderes do bloco.

Durante os trabalhos do dia, Márcio Fernandes (MDB) chegou a anunciar que Eduardo Rocha (MDB) e Lídio Lopes (Patri) seriam os indicados e que seriam os membros da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) pelo bloco. A indefinição sobre os nomes atrapalha a composição da mais importante Comissão da Assembleia, responsável pela tramitação dos projetos de lei.

Cabo Almi será vice-líder do G8 (Luciana Nassar, ALMS)

Após o final da sessão, Cabo Almi e Pedro Kemp, petistas que compõe o bloco, informaram que não haviam se reunido para decidir o anunciado por Fernandes. Com o fim da reunião, a única mudança é que Almi não comporá a CCJR, mas sim Rocha e Lopes.

Fazem parte do bloco Márcio Fernandes (MDB), Cabo Almi (PT), Eduardo Rocha e Renato Câmara (MDB), Lídio Lopes (PATRI), Zé Teixeira e Barbosinha (DEM) e Pedro Kemp (PT).

No G11, estão os deputados João Henrique (PR), Gerson Claro e Evander Vendramini (PP), Lucas de Lima (SD), Capitão Contar e Coronel David (PSL), Antônio Vaz (PRB), Neno Razuk (PTB), Londres Machado (PSD), Herculano Borges (SD) e Jamilson Name (sem partido).

Maior bancada da Casa, o bloco do PSDB é composto pelos deputados Felipe Orro, Marçal Filho, Onevan de Matos, Professor Rinaldo e o presidente, deputado Paulo Correa. Rinaldo continua líder e Onevan é o vice.

A composição garante duas indicações de deputados à CCJR para cada bloco, contra uma do PSDB.

Mais notícias