Política

Assembleia faz indicação ao governo para pagar abono salarial dos servidores por mais um ano

O presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), Paulo Corrêa (PSDB) apresentou indicação da Casa de Leis, com a aprovação de todos os 24 deputados, para encaminhar ao Governo do Estado, a fixação do abono salarial a todos os servidores públicos por mais um ano. Corrêa pediu destaque da indicação e a […]

Renata Volpe Publicado em 07/05/2020, às 10h30 - Atualizado às 11h09

Votação aconteceu de forma remota. (Luciana Nassar, Alems)
Votação aconteceu de forma remota. (Luciana Nassar, Alems) - Votação aconteceu de forma remota. (Luciana Nassar, Alems)

O presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), Paulo Corrêa (PSDB) apresentou indicação da Casa de Leis, com a aprovação de todos os 24 deputados, para encaminhar ao Governo do Estado, a fixação do abono salarial a todos os servidores públicos por mais um ano.

Corrêa pediu destaque da indicação e a votação individual de cada parlamentar. “O abono salarial acaba em 30 de maio e temos urgência no fechamento da folha de pagamento. Sabemos do impacto do coronavírus e esse abono contribui no salário do servidor”. O abono é de até R$ 200.

Segundo o presidente, a indicação ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ganha peso quando é pela Casa de Leis. “Estamos com problema real para pagamento da folha de maio que paga em junho. Os poderes têm fundos destinados à modernização, como o TCE, Procuradoria-Geral, que estão colaborando desde que seja apresentado projeto de lei na Casa, pois houve queda de arrecadação de R$ 250 milhões por conta do coronavírus. Essa aqui é uma despesa, só posso fazer indicação, não posso legislar sobre isso”.

Eduardo Rocha (MDB) afirmou que ontem o Congresso Federal aprovou a ajuda financeira aos Estados e municípios. “Vai dar socorro por quatro meses e essa ajuda pode pagar. Acho que o governador vai ter condições de renovar o abono salarial”.

Pedro Kemp (PT) falou sobre a necessidade de incorporação do abono. “Devemos encaminhar a incorporação definitiva ao salário dos servidores”.

Segundo Rinaldo Modesto (PSDB), o abono representa praticamente 20 % do salário. “Para alguns servidores, o abono não faz diferença, mas para pelos menos 12 mil servidores, faz total diferença”.

Jornal Midiamax