Após demissão, Mandetta cumprirá quarentena de 6 meses com salário de R$ 31 mil

Medida foi estabelecida pela Comissão de Ética para evitar que informações oficiais sejam usadas no setor privado

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), não poderá exercer nenhum cargo no setor privado pelos próximos seis meses. A quarentena foi imposta pela Comissão de Ética da Presidência da República, em reunião nesta terça-feira (26).

Conforme previsto em lei para casos desse tipo, o ex-ministro continuará recebendo salário de R$ 31 mil durante esse período. A resposta da Presidência foi dada após consulta feita pelo próprio Mandetta, se poderia atuar na área da saúde em organizações privadas.

“Não é vantagem para ele (a quarentena), porque na área privada ganharia mais. Mas ele tem informações privilegiadas na área de saúde, e não poderia atuar no setor privado”, enfatizou o presidente da Comissão de Ética, Paulo Henrique dos Santos Lucon, ao Jornal O Globo.

Em abril deste ano, ao ser demitido, Mandetta recebeu oferta dos Democratas para um cargo de consultor, no qual pudesse continuar aconselhando governadores e prefeitos na crise do coronavírus. Contudo, ele aguardava a definição da Presidência se estaria liberado a assumir.

Após demissão, Mandetta cumprirá quarentena de 6 meses com salário de R$ 31 mil
Mais notícias