Vereadores trocam farpas por votação de projeto sobre lixo em regime de urgência

Parlamentares apoiaram votação em urgência, mas recuaram e tiraram as assinaturas, irritando colega

Carlão e André Salineiro. (Foto: Montagem/Arquivo Midiamax)

Os vereadores de Campo Grande André Salineiro (PSDB) e Carlão (PSB) trocaram farpas durante a sessão desta terça-feira (12) na Câmara. A discussão foi motivada por um pedido do parlamentar tucano para que um projeto de sua autoria fosse votado em regime de urgência. Inicialmente, o socialista apoiou o colega, mas depois retirou sua assinatura, gerando o embate.

Além de Carlão, os vereadores Betinho (PRB), Ayrton Araújo (PT) e Jeremias Flores (Avante) recuaram do apoio ao pedido de Salineiro, que precisava de 20 assinaturas para que sua proposta entrasse na pauta.

Insatisfeito, o vereador do PSDB pediu para a presidência da sessão, no momento ocupada por Eduardo Romero (Rede), informasse o nome dos colegas que retiraram as assinaturas. Antes de informar os nomes, Romero alertou Salineiro que ficasse “atento” nas próximas vezes, pois os vereadores usaram o microfone para justificar a retirada das assinaturas.

Em resumo, a desculpa foi para terem mais tempo de analisar a proposição, que trata do aumento de 50 kg para 100 kg e de 200 litros para 400 litros para que uma empresa seja considerada “grande geradora” de lixo.

Na sequência, Salineiro questionou por que os projetos da prefeitura, “que 95% entram em regime de urgência”, não são tratados da mesma forma que o dele foi.

O vereador Carlão tomou as dores e retrucou Salineiro ao microfone: “que ele cuide do mandato dele, que eu cuido do meu. Não preciso dele me falar o que devo fazer”.

Prevendo que a discussão se prolongaria, Eduardo Romero foi firme ao interromper o debate e dizer que a matéria estava “vencida”, obrigando que outro assunto fosse tratado no plenário.

Mais notícias