Publicidade

Vamos convencê-lo a sair candidato, diz Kemp sobre Zeca do PT em 2020

Deputado estadual disse que o ex-governador tem 'política no sangue' e que deveria voltar em 2020

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) afirmou nesta terça-feira (14), na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) que o partido tentará “convencer” o ex-governador Zeca do PT a se lançar candidato nas eleições municipais de 2020, porém, ele não adiantou para qual cargo seria.

De acordo com o parlamentar, Zeca teria dito que “não sairia candidato, que ficaria só na direção do partido”, entretanto, por ser um dos principais nomes do partido no Estado, Kemp afirmou que espera que o ex-governador mude de ideia.

“Acredito que ele deve sair candidato a alguma coisa, porque o Zeca tem a política no sangue. Ele é importante, a principal liderança do nosso partido, então vamos convencê-lo a sair candidato”, declarou o deputado.

O partido irá lançar candidato à prefeitura de Campo Grande, foi o que disse o deputado estadual Cabo Almi. Segundo ele, nas principais cidades do Estado o PT deverá ter nome na disputa à prefeito, entretanto, para a Capital ele garantiu que ainda não há nome decidido. “Vamos ter candidato em Campo Grande, não sabemos quem, mas vamos, pode ter certeza”. A afirmação foi a mesma dada pelo deputado federal Vander Loubet na segunda-feira (13), durante audiência pública na Capital.

O deputado estadual ainda declarou que a primeira preocupação do partido foi organizar os diretórios municipais e o regional para as regras do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que determinam que as mesas diretoras sejam eleitas em definitivo e não mais provisórias.

“Nós estamos chegando agora a 50 municípios e a tendência é que os municípios tenham candidatos a prefeito e em alguns menores vices, mas que na maioria das Câmaras consigamos eleger representantes no Legislativo. Para nós é fundamental eleger vereador”, afirmou Almi.

Para o parlamentar, eleger bons nomes para os municípios, tanto na prefeitura quanto na Câmara, ajudará a que o partido volte a presidência nas eleições de 2022.

Mais notícias