Trutis diz que se inspirou nos EUA e recompensa pode subir para meio milhão de reais

Deputado afirma que foi procurado por outros empresários. Investigação da PF termina em 90 dias

O deputado federal Loester Trutis (PSL) pode aumentar para R$ 500 mil a recompensa para quem der informações que, segundo ele, esclareçam e apontem quem foi o mandante do atentado a faca que vitimou, na campanha de 2018, o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele disse que se inspirou nas recompensar dos EUA. O valor atual é de R$ 100 mil.

Ele ofereceu a recompensa em vídeo postado em seu perfil oficial no Facebook ao lado do empresário e também assessor parlamentar, Ciro Fidelis, afirmando que essa questão, mesmo já tendo um ano, ainda tira o seu sono.

O autor do crime, Adélio Bispo, segue preso, e a investigação da PF (Polícia Federal) prossegue por mais 90 dias antes do caso ser considerado encerrado. Por ora, o caso é considerado sem mandante. O vídeo de Trutis pode ser conferido no final do texto.

“Sempre acreditei que houve mandante e ninguém tira da minha cabeça. É inclusive um consenso de várias pessoas, de policiais e parlamentares que já foram delegados. Mas depois do Celso Daniel ninguém se encoraja a delatar”, diz Trutis ao Jornal Midiamax.

O parlamentar ainda completa que se inspirou nos casos que acontecem nos EUA, onde são oferecidas recompensas ‘poupudas’ para quem der informações que levem a esclarecer crimes ou encontrar os autores dos mesmos.

“Acho que essa recompensa possa sim trazer algum familiar do Adélio, alguém que trabalhou no escritório dos advogados nos informar quem fez os pagamentos da defesa dele, alguém da própria Câmara Federal que possa dizer por que os registros de visita dele aqui apareceram e depois sumiram”, explica o deputado.

Trutis também conta que a ideia inicialmente envolvia um valor menor, mas que por sugestão de Ciro, que vai fornecer o dinheiro, ele foi aumentado. “Ele achou mais interessante aumentar bastante esse valor, e como ele já tem um patrimônio da família, está mais tranquilo que eu para poder dispor dessa quantia”.

Deputado diz que ação é legal e valor pode aumentar

Segundo Trutis, alguns parlamentares que apoiam Bolsonaro já “compraram a ideia”, assim como alguns empresário que entraram em contato e querer aumentar o valor. “Acho que vai dar algum resultado sim”, opina. Além disso, a recompensa pode subir para até R$ 500 mil caso haja realmente apoio de outros empresários.

“Conversamos com alguns delegados sobre a legalidade do ato, se haveria algum problema. Consultamos também nossa equipe técnica e desde que não tenha dinheiro público e seja da iniciativa privada, dinheiro próprio, meu e do Ciro, e pelo jeito de outros empresários, não em problema nenhum”, garante Trutis.

De onde vem o dinheiro?

Loester Trutis diz que uma parte do valor de R$ 100 mil sairá de seu bolso, enquanto a maior parte vai ser repassada por Fidelis, que além de empresário é seu assessor. “Ele trabalha comigo, é gestor, tem MBA em gestão e é o responsável pela seleção dos funcionários que trabalham comigo”, explica Trutis.

Sócio da loja Casa dos Botões, Ciro Nogueira Fidelis é secretário parlamentar desde 2 de fevereiro deste ano. O cargo o dá direito a remuneração bruta de R$ 15.698,32 por mês. Em agosto, o valor líquido recebido por ele foi de R$ 12.595,83 – incluindo R$ 1.667,68 de auxílios e R$ 1.046,55 de remunerações eventuais.

Publicado por Loester Trutis em Terça-feira, 10 de setembro de 2019

Mais notícias