Tereza Cristina tenta reverter veto dos EUA à carne bovina brasileira

Ministra está em missão desde o início da semana e deve ir novamente aos Estados Unidos em fevereiro do próximo ano.

Em missão nos Estados Unidos desde o início da semana, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), se reuniu, nesta quarta-feira (20), com o secretário da Agricultura daquele País, Sonny Perdue, para tratar da suspensão à importação de carne bovina in natura do Brasil.

Segundo a ministra, o governo americano está finalizando a análise dos dados que o Brasil enviou e emitir posicionamento sobre o embargo em algumas semanas. “Vamos fazer os trâmites com a maior tranquilidade. Eles me prometeram que em breve teremos notícias sobre a data e se as informações que passamos são suficientes ou não. Vamos aguardar uma decisão deles, eu espero que seja breve mesmo, pela nossa conversa”, informou, ao sair da reunião.

Já o secretário norte-americano agradeceu a celeridade com a qual o Brasil enviou as informações solicitadas em auditoria realizada em junho. Ele se comprometeu ainda a dar prioridade ao processo sobre o caso. Em 2017, os Estados Unidos suspenderam as compras de cortes bovinos brasileiros por conta de reações (abcessos) provocadas no rebanho pela vacina contra a febre aftosa. Neste ano, missão veterinária esteve no Brasil em junho para inspecionar frigoríficos de bovinos e suínos.

Na desta quarta-feira (20), foi tratado ainda o estabelecimento de cota de importação de 750 mil toneladas de trigo por ano com alíquota zero, definido pela Camex (Câmara de Comércio Exterior). “Era uma ansiedade dos Estados Unidos, mas já está implementada”, disse Tereza Cristina. A expansão do uso do etanol como commodity também foi tratada no encontro.

Além das agendas desta semana, a ministra deve retornar aos Estados Unidos em missão oficial em fevereiro do próximo ano.

Mais notícias