Publicidade

Tendência é reajuste zero para servidores estaduais, antecipa deputado tucano

Reunião com a comissão está marcada para amanhã à tarde

O deputado estadual Felipe Orro (PSDB) disse acreditar que a tendência é reajuste zero para os servidores, devido ao que ele está “sentindo” do governo. A declaração foi dada na manhã desta quarta-feira (15), durante a sessão na Assembleia Legislativa.

Orro comentou que pelo o que está sentindo, o governo não vai ter condição de dar reajuste. “A situação está difícil. Bem ou mal, no mandato anterior tiveram os aumentos, todo ano tinha e todos os poderes davam. Hoje o salário achatou, há cinco anos o servidor recebe a mesma coisa”.

Os deputados que integram a comissão que acompanha a negociação salarial dos servidores públicos do Estado junto ao governo, disseram não saber sobre o reajuste zero no salário dos servidores.

Uma reunião está marcada para amanhã à tarde, por volta de 15h na Secretaria de Governo e Gestão Estratégica (Segov), com os secretários e parlamentares, para ser repassado a posição do governo sobre o assunto.

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), desconhece que não terá reajuste no salário dos servidores.”Estamos com reunião marcada com a comissão para ouvir qual encaminhamento e proposta do governo para todas as categorias”.

Barbosinha disse não saber do reajuste zero. “Vamos ter conhecimento da situação amanhã da reunião e não sei se o governador estará presente. A gente sempre espera que possa ter boas notícias, estamos ansiosos por boas notícias,para que resultados aconteçam com celeridade porque ninguém aguenta mais”.

Lídio Lopes (Patriota) que também integra a comissão, falou da reunião, mas também desconhece a informação que não terá reajuste. “Vamos chegar a uma interlocução e consenso entre servidores e governo”.

Durante a tarde de hoje (15), o secretário de Administração, Roberto Hashioka, vai estar reunido com representantes das categorias para conversas sobre o reajuste. Mais cedo, ele disse à reportagem do Midiamax, que espera o relatório quadrimestral para saber das finanças do governo.

Mais notícias