Em meio a denúncias de propina, prefeitura de Bela Vista está até com telefone cortado por atraso

Prefeitura garante estar em dia com negociação da dívida

Em Bela Vista, onde o prefeito Reinaldo Piti (PSDB) foi denunciado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) por suposta cobrança de propina em esquema de corrupção, até linha telefônica central do Paço Municipal foi cortada, deixando servidores incomunicáveis e cidadãos sem acesso a qualquer tipo de serviço por essa via.

Segundo informado pela prefeitura, por meio da assessoria de imprensa, o problema com a linha é antigo, oriundo de gestões anteriores. No início do mandato, a atual administração procurou a operadora de telefonia e fez uma negociação para que o telefone ficasse em funcionamento.

O problema, conforme a prefeitura, é que foi exigido pagamento completo e com a renegociação não sendo aceita, a linha foi cortada. Como o problema atingiu a central, todos os ramais acabaram prejudicados. Com a situação ‘em fase de regularização’, a previsão é que o serviço seja estabelecido dentro de 30 dias.

Enquanto isso, servidores não conseguem se comunicar nem mesmo entre os ramais. A população também ficou sem contato com a prefeitura e, para esclarecer qualquer dúvida relacionada a imposto por exemplo, precisa se deslocar ao prédio do Paço Municipal.

Não foi informado qual o montante da dívida nem há quanto tempo a administração está sem linha telefônica. Em nota, a empresa Oi informou não comentar “questões contratuais de seus clientes”.

Fraude em licitações

Além de Piti, também foram denunciados outras 11 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema que fraudava licitações. As investigações foram feitas pelo Gaeco na segunda fase da Operação Linha Marcada, deflagrada no início de abril.

Foram atribuídos a Reinaldo os crimes de associação criminosa, corrupção ativa, fraude à licitação e dispensa de licitação fora das hipóteses previstas em lei. A ação criminal foi impetrada na 1ª Vara de Bela Vista.

A reportagem do Jornal Midiamax tem tentando falar com o prefeito, mas ele não atende o celular nem retorna às ligações. Pelo telefone fixo da prefeitura, não é possível contato devido ao corte da linha. A assessoria de imprensa foi acionada e irá verificar se o prefeito pretende se manifestar em relação ao pedido de afastamento do cargo, feito pelo MPMS, e sobre o corte da linha. O espaço permanece aberto para publicação da versão dele sobre o caso.

Mais notícias