Publicidade

Sobre prisão de Temer, Reinaldo cita ‘excessos’ e espera respostas do Congresso

Governador destacou que é preciso acatar decisão judicial

Durante agenda pública na Capital, na manhã desta sexta-feira (22), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) comentou a prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), no âmbito da Operação Lava Jato, que repercutiu mundialmente ontem, quinta-feira (21).

“A gente entende hoje e avaliando as questões, existe alguns excessos, que tem sido questionados por grandes juristas a nível Brasil. Mas foi cumprida, deve ser feita, é o regramento, a gente tem que acatar”, afirmou Azambuja.

O governador citou que juristas de renome nacional apontaram um grande interesse midiático em torno de operações como a que prendeu Temer, durante a manhã em uma rua na Capital paulista.

“Prende hoje e solta amanhã. Mas fica a imagem da pessoa principalmente do agente político. Isso é uma discussão que já tá dominando o congresso Nacional e eu tenho certeza que eles terão ali regramentos que possam principalmente preservar para que a gente tenha a regularidade (sic)”, pontuou Reinaldo.

Repercussão

Na opinião no Azambuja, a prisão do ex-presidente, que tinha o PSDB em sua base aliada no Congresso, não deve ‘respingar’ no ninho tucano.

O governador citou declaração do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que mesmo contrário à presença do PSDB no governo Temer, criticou a prisão do ex-presidente, dizendo que houve excessos e a classificando de ‘arbitrária’

Mais notícias