Siqueira defende CPI para ‘acompanhar de perto’ investigações do MPMS

Vereador já apresentou dois pedidos de abertura para apurar serviço ruim e licitação irregular

O vereador Vinicius Siqueira (DEM) voltou a defender a abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) em Campo Grande após o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) abrir inquérito civil para investigar irregularidades na licitação dos serviços de transporte público, vencido pelo Consórcio Guaicurus.

Várias irregularidades na prestação do serviço de transporte em Campo Grande foram denunciadas pelo Jornal Midiamax, que também revelou na semana passada a delação premiada feita pelo advogado e ex-consultor do Consórcio Guaicurus, Sacha Reck, admitindo fraude no certame, ocorrido em 2012.

“Eu acho ideal abrir para podermos acompanhar. Acho que a Câmara tem obrigação de acompanhar. Como o interesse é nosso, municipal, acho interessante ter a CPI para a gente tocar junto e acompanhar de perto”, comenta o vereador.

Siqueira apresentou duas propostas de abertura de CPI. Na primeira, ele quis apurar denúncias relativas à má prestação dos serviços, conseguindo a adesão de apenas outros quatro vereadores. São necessárias 10 assinaturas.

Já na quinta-feira passada (1), retorno do recesso para os 29 integrantes da Câmara Municipal de Campo Grande, Siqueira apresentou nova proposta de abertura de CPI, dessa vez pautada nas revelações de ilicitudes na licitação.

“Você não precisa lavar as mãos e deixar o Ministério Público fazer sozinho. Essa vai ser minha defesa. Acho que vou pedir para manter para poder acompanhar”, completa o vereador do DEM e um dos que cobra esclarecimentos sobre a situação.

Mais notícias