Sem participar, Fabio Trad ameaça ir à Justiça contra reunião da bancada com Nelsinho

Deputado federal não concorda com exclusão de Campo Grande na escolha das emendas

O deputado federal Fábio Trad (PSD) ameaçou ir à Justiça caso a bancada federal de Mato Grosso do Sul não volte atrás na escolha das emendas a serem incluídas no anexo de metas e prioridades da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) 2020, que tramita no Senado Federal. A reclamação do parlamentar é em relação à exclusão da Capital da lista de locais escolhidos para serem beneficiados com recursos da União.

“Entendo que deve ser contemplada a cidade de Campo Grande porque é a que tem o maior número de habitantes e o maior número de problemas”, pontuou Fábio Trad. Ele disse ter sido convidado para a reunião no gabinete do coordenador da bancada, senador Nelsinho Trad (PSD), realizada na tarde desta quarta-feira (16). Mas, não pôde comparecer em função de um compromisso do partido agendado anteriormente.

Fábio informou ainda ter enviado uma assessora ao encontro com os parlamentares, mas reclamou que ela não tinha poder de decisão em relação à definição das emendas.

Para as três indicações a que tinha direito, a bancada de MS escolheu destinar investimentos para o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), para o desassoreamento do Rio Taquari e para o Corredor Bioceânico, segundo informado pelo gabinete do senador Nelsinho Trad.

Conforme o deputado, se a decisão não for revogada ele ingressará com cautelar inominada com pedido de antecipação de tutela para suspender seus efeitos. “Se vigorar o que for decidido entrarei com ação pra revogar a deliberação da bancada para que todos tenham direito de manifestação, inclusive a Simone [Tebet, MDB] e a Soraya [Thronicke, PSL]”, afirmou sobre as senadoras que também não estiveram presentes.

Apesar de adiantar que está preparando ação política e jurídica, Fábio Trad disse acreditar que haverá ‘bom senso’ da bancada para voltar atrás na decisão.

Os valores que cada emenda irá receber não foram estabelecidos. As emendas apresentadas à LDO funcionam como uma espécie de preparação para o Orçamento da União, que começará a ser discutido em outubro com envio da LOA (Lei Orçamentária Anual).

Mais notícias