Sem emendas, prefeito vai a Brasília cobrar repasse para Campo Grande

Foi anunciado, pelo Ministério da Saúde, repasse de R$ 1,6 bilhões para os estados brasileiros e nenhuma centavo foi direcionado a Mato Grosso do Sul

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), vai a Brasília nesta quarta-feira (dia 17) para reunião com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e com o senador Nelsinho Trad (PSD).

Segundo o chefe do Executivo municipal, a intenção é conversar com a bancada federal e com o ministro sul-mato-grossense sobre Campo Grande, e os demais 78 municípios do Estado, ter ficado de fora do repasse de emendas na área da saúde.

Só semana passada foi divulgada liberação de R$ 1,6 bilhão e nenhum centavo foi direcionado para Mato Grosso do Sul. “Sem o dinheiro de Brasília, não consigo fazer nada. Queremos saber o que aconteceu, porque Campo Grande não foi contemplado em nada”.

A ida vai contemplar reuniões ao longo do dia no Ministério da Saúde, Senado, Câmara Federal e, por último, no Ministério do Desenvolvimento. Neste caso, serão tratados assuntos sobre liberação de recurso para habitação, obra da Avenida Ernesto Geisel. O prefeito também deve ir ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para tratar sobre o cronograma do Reviva Campo Grande – obra de revitalização do centro da Capital.

Mais notícias