Trutis não assina lista de Eduardo e diz não ver sentido na briga do PSL

Filho do presidente foi oficializado como líder do PSL na Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira (21)

O deputado federal Loester Trutis (PSL) disse não ver sentido na briga interna enfrentada por seu partido e que os 52 representantes da legenda na Câmara dos Deputados ‘votam 100% com Governo’. Nesta segunda-feira (21), após lista assinada por 28 deputados federais apoiando o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL) foi confirmado como novo líder do PSL na Câmara, no lugar do Delegado Waldir (PSL-GO) que há poucos dias chamou o presidente de vagabundo em áudio de reunião vazado pela imprensa nacional.

Sobre a lista, Trutis disse ter assinado a primeira versão feita na última quarta-feira (16) na Presidência da República e que não assinou a segunda por estar em Campo Grande, onde cumpria agenda representando o Ministério da Educação. “Eu não tenho problema nenhum com o Eduardo ser líder ou com o Valdir ser líder. Eu só acho que isso é uma briga desnecessária e por isso eu me mantive mais afastado um pouco”, declarou o parlamentar, que disse seguir trabalhando.

“Eu continuo apoiando o presidente Bolsonaro, continuo respeitando a decisão do Eduardo de ser líder, eu só não estava em Brasilia [quando a segunda versão da lista foi feita]. Eu estava aqui trabalhando pelo eleitorado de Mato Grosso do Sul”, finalizou.

Na sexta-feira (18), durante inauguração da reforma da Casa da Saúde em MS o deputado federal Luiz Ovando (PSL) usou o palanque para falar sobre a crise vivida no partido. “Nós precisamos dar um jeito de torcer para que essas coisas se reduzam”, disse, afirmando que a legenda está se ‘digladiando’. Ovando pediu realinhamento de posicionamento dos integrantes e afirmou que na vida ‘devemos ser firmes, elegantes e determinados’.

Mais notícias