‘Secretário candidato’ que fizer política na prefeitura será exonerado, avisa prefeito

A medida seria para evitar o uso da função pública como ‘trampolim’ para fins eleitoreiros

“Se eu enxergar um ato dentro da prefeitura que seja político e não técnico, administrativo, vai ser exonerado”, avisa o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), aos pretensos candidatos, que hoje fazem parte do primeiro e segundo escalões do município.

Até então, quatro subsecretários já disseram ter intenção de disputar o pleito do ano que vem.
Segundo o chefe do Executivo municipal, durante reunião na tarde de quinta-feira (31), os secretários receberem o recado de focar na administração e que as conversas sobre política só vão ocorrer, por parte dele, a partir de março e abril de 2020.

Sobre a data de saída dos titulares de cargo de confiança, Marquinhos disse que, quem quiser, poderá sair em dezembro. Em março, quando substituiu os secretários das pastas de Cultura e Saúde, o prefeito afirmou que os titulares que quisessem disputar o pleito do ano que vem, teriam de deixar os cargos até dezembro. A medida seria para evitar o uso da função pública como ‘trampolim’ para fins eleitoreiros. Nesta sexta-feira (1º), no entanto, afirmou que não obrigará ninguém a deixar os postos.

“Nunca obriguei as pessoas, se eles quiserem já focar nas campanhas, saiam em dezembro. Eu deixei bem claro, se eu sentir qualquer foco, vai ser exonerado”.

Mais notícias