Se não fosse Marquinhos, o governador seria o Odilon, diz Chiquinho sobre PSDB

Líder rebateu especulações sobre candidato do PSDB em Campo Grande

Líder do prefeito Marquinhos Trad (PSD) na Câmara de Campo Grande, Chiquinho Teles (PSD) rebateu à possibilidade do PSDB lançar um candidato nas eleições de 2020, afirmando nesta quinta-feira (12) que se não fosse pelo Trad, o atual governador não seria o tucano Reinaldo Azambuja.

“Tem muita especulação sobre isso. Até essa especulação subentende-se uma ingratidão política. O PSDB tem que ser justo com o prefeito Marquinhos. Se não fosse a interferência do Marquinhos em Campo Grande, o governador seria o Juiz Odilon”, disparou ao comentar a situação na sessão.

Chiquinho destacou que ainda é cedo para se preocupar com a possibilidade e que ‘um dia na política é muito tempo’. “Tem muita água para passar debaixo dessa ponte. Só não tem isso de jogo de toma lá, dá cá. Se o Marquinhos tiver apoio do PSDB ou de qualquer outro partido vai ser pela sua capacidade de gestão, administrativa, não por politicagem”, finalizou.

Chiquinho comentou o assunto após ser questionado sobre a declaração do presidente regional do PSDB em Mato Grosso do Sul, Sérgio de Paula, que afirmou que decisões tomadas pela executiva nacional podem interferir no apoio do partido para a reeleição de Marquinhos Trad (PSD) em 2020.

Ainda assim, ele diz que a palavra final será do governador Reinaldo Azambuja.“A decisão do partido será tomada em março do ano que vem. Na reeleição do governador o Marcos Trad esteve conosco, a equipe e o partido dele estiveram com a gente. Nesse conjunto foram eleitos na mesma chapa o deputado Fábio Trad e o senador Nelson. Existe uma parceria”, explica de Paula, que em seguida fala sobre um “receio”.

“Qual o receio que devemos tomar cuidado: uma decisão da executiva nacional para que o partido tenha em todas as capitais candidatura própria e faça coligação só no segundo turno. Estou falando de todos partidos, não só do PSDB. Todos querem se fortalecer nos grandes colégios eleitorais”, comentou o presidente tucano.

Mais notícias