Reinaldo exalta retorno de Tereza à Câmara e pede adesão de deputados à reforma

Governador afirma que ela vai articular a Reforma da Previdência e pediu para plateia 'conversar' com parlamentares conhecidos pelo voto favorável

Durante a apresentação do Plano Safra 2019/2020 em Campo Grande nesta segunda-feira (8), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) exaltou o retorno da ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), à Câmara dos Deputados. Ela vai reassumir o cargo para participar da votação da Reforma da Previdência, segundo o Estadão.

“Brinquei hoje com a Tereza, talvez amanhã ela volte a ser deputada federal para ir para dentro da Câmara. Não é só votar, porque a Bia [Cavassa (PSDB), suplente de Tereza] também vai votar pela reforma, mas é para ajudar a articular essa questão no Congresso”, disse Reinaldo, na presença de Tereza, que não comentou a situação.

O governador ainda destacou a importância de aprovar a reforma para o país, dizendo que não é algo inerente apenas ao governo, mas para toda a nação. “Precisamos distribuir melhor as riquezas”, frisa o tucano, completando em seguida com um pedido para a plateia conversar com deputados federais sobre o assunto.

“Aqui [auditório da sede do Banco do Brasil], vejo uma plateia seleta. Vocês devem conversar com parlamentares sobre isso. Vejo alguns ainda indecisos se é sim ou não, por isso é muito importante a participação da Tereza e vocês falarem da importância da reforma, que não é desgaste, ela é necessária”, o chefe do Executivo.

Reinaldo ainda relembrou que Mato Grosso do Sul aprovou sua própria reforma em 2017 e, na época, foi falado sobre o “custo político” que teria, mas na realidade, o que se viu foi uma “vantagem”. “Não fosse isso, estaríamos quebrados igual outros 20 estados. Temos que enfrentar essas pautas importantes”, conclui.

Viagem ao Paraguai

Reinaldo e Tereza participaram nesta tarde da apresentação do Plano Safra 2019/2020 e, em seguida, partiram para viagem ao Paraguai, onde vão discutir diversas questões do interesse econômico do Estado, como a Rota Bioceânica. Ambos apenas discursaram ao público, mas não concederem entrevista coletiva.

Em breve fala com a imprensa antes do evento, a ministra ainda comentou a suposta indicação de um novo nome para substituir o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, conforme publicado na coluna Radar, da revista Veja. Ela negou o assunto e ainda afirmou que tudo se trata de intrigas.

Mais notícias