Publicidade

Reinaldo descarta ser presidente ‘figurativo’ e diz que federais decidirão nome de consenso

Governador não confirmou De Paula para o cargo

Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja comentou nesta quarta-feira (17) durante agenda no CMO (Comando Militar do Oeste) que não gostaria de ser o presidente regional do PSDB e afirmou que o nome de consenso deverá ser decidido pelos deputados federais Beto Pereira e Rose Modesto em reunião na segunda-feira (22).

Questionado sobre a possibilidade do Secretário Especial de Articulação Política Sérgio De Paula assumir o cargo, o governador disse que quem deve decidir são os deputados. “Não sei. Essa conversa nós vamos ter segunda-feira com a Rose e o Beto. Como os dois estão na disputa, tem que partir deles qual a ideia. Ou um deles disputarem ou não. Mas essa decisão não é nossa. Segunda-feira a gente vai ter uma reunião para discutir sobre isso. Nós vamos ouvir os dois candidatos propensos hoje. Tanto a Rose como o Beto”, explicou.

Reinaldo disse que não gostaria de ser um presidente figurativo. “A gente tem inúmeras atividades e ser presidente do partido para ser figurativo não é ideal. Você tem que ser um presidente de partido ativo. Nós vamos ter uma eleição em 2020 diferente de todas as outras, porque já não tem mais coligações proporcionais. Então os partidos precisam se fortalecer. Nunca houve embate, sempre buscou o consenso. Eu acho que o consenso vai mais uma vez prevalecer”, pontuou.

Confirmando a tendência de ter um presidente sem mandato, Reinaldo não descartou a participação de Marcelo Miglioli, ex-secretário de Infraestrutura. “Qualquer um filiado pode. Ele é filiado ao partido e também se tiver interesse ele com certeza poderá colocar o nome”, minimizou.

Nesta quarta, o deputado estadual Marçal Filho (PSDB) disse que De Paula seria ‘um ótimo nome’ para os deputados indicarem como o consenso para a presidência do partido.

Mais notícias