‘Recurso para obras no aeroporto de Dourados depende da Délia’, diz Soraya

Senadora relatou que prefeita precisa licitar a obra para dar sequência a solicitação

Soraya Thronicke (PSL) afirmou que os R$ 30 milhões de recursos do Governo Federal para obras do aeroporto de Dourados depende da prefeita Délia Razuk. No sábado (17), a senadora esteve no município e disse que para o andamento da liberação de dinheiro é preciso licitar, o que a prefeitura ainda não fez.

De acordo com Soraya, o corte da verba foi devido ao “desinteresse” de encaminhar os documentos necessários e sugeriu que repassasse o comando para o governo estadual.

“O aeroporto perdeu os R$ 30 milhões porque o sistema entendeu que quem não licitou. Quem não deu andamento nos projetos, estava desinteressado. Por isso a necessidade da prefeita licitar. Quem se mexeu, garantiu. Pedi para a prefeita se ela não for licitar para mandar para o Estado que vou ajudar. Estou disponível para ajudá-la, mas ela precisa dar andamento. Os R$ 19 milhões são suficientes até o final do ano e estão garantidos. O aeroporto de Dourados vai sair”, afirmou.

Soraya também falou dos problemas da saúde em Dourados e disse que conseguiu um pequeno recurso para ajudar. Também disse que pretende pedir para tirar do município o repasse para o setor.

“Na sexta-feira tive uma conversa no Hospital Evangélico e consegui R$ 500 mil para eles. Estou trabalhando para a saúde de Dourados. Me pediram para tirar da mão do município os repasses desse setor e vou encaminhar ao ministro. A gestão de Dourados está muito difícil. Não estou julgando ninguém até porque também pegamos o país quebrado, mas estamos trabalhando gestão. Em Mato Grosso do Sul também está (complicado). Só aumentou o número de servidores comissionados”, cutucou a senadora.

Entenda os recursos previstos e contingenciados

As obras do aeroporto de Dourados estavam divididas em duas etapas. A primeira delas é com recursos do Fundo Nacional da Aviação Civil no valor de R$ 49 milhões por meio do TED mencionado pelo secretário nacional de Aviação Civil. A execução desses valores é de responsabilidade da Brigada de Engenharia do Exército, que fará alargamento da pista, taxiamento, desníveis, em suma, a parte horizontal da obra.

Além desses valores, havia sido apresentada emenda da bancada federal de MS no valor de R$ 30 milhões para o Orçamento 2019 que seria utilizado para construção da parte vertical, incluindo o terminal de passageiros e estrutura para o corpo de bombeiros.

Sob responsabilidade da prefeitura ficou a elaboração de projeto relacionado à parte horizontal, incluindo sinalização. O valor desse projeto seria em torno de R$ 16 milhões oriundos do Fundo de Aviação e que seriam descontados dos R$ 30 milhões da emenda.

Como não era impositiva, a indicação da bancada foi cancelada por meio da Portaria 169 e os recursos realocados para outras áreas. Seguem em andamento as obras da primeira etapa que está sendo executada pelo Exército.

Mais notícias