Reajuste poderia impor sanções a MS prejudicando a sociedade, diz Reinaldo

"Governo não governa só para funcionários públicos, ele governa para todos”, enfatizou governador.

A concessão de reajuste aos administrativos da educação poderia fazer Mato Grosso do Sul exceder o limite de gastos e ser penalizado por meio de sanções que prejudicariam a sociedade como um todo. A informação foi dada pelo governador Reinaldo Azambuja, em evento na Governadoria na tarde desta quinta-feira (23), após servidores realizarem manifestação em frente ao local.

Segundo Reinaldo, a questão da reposição salarial nos estados está acima do limite prudencial. “É uma questão de lei e a lei vale para todos”, afirmou, reiterando que a economia do Brasil está praticamente estagnada e em processo de retração, com outros estados, municípios e até a União em situação similar ou pior que a de MS.

“É um momento de responsabilidade. Não é que o governador é insensível, que o governador não queira fazer. É que nós estamos impossibilitados de fazer por uma questão legal que pode impor a Mato Grosso do sul sanções que podem prejudicar a sociedade como um todo”, explicou o governador.

De acordo com ele, se continuar ultrapassando o limite prudencial o Estado pode acabar impossibilitado de investir em áreas básicas como saúde, educação e segurança. “Se tivéssemos condições, nós faríamos. É que legalmente estamos impossibilitados, mas o diálogo é necessário e a livre manifestação faz parte do dia-a-dia”, disse. “E o Governo não governa só para funcionários públicos, ele governa para todos”, concluiu.

Mais notícias