Para aprovação de reforma previdenciária, Resende é exonerado de novo

Na primeira votação da reforma, secretário também foi exonerado

Após votação do segundo turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados realizada na quarta-feira (7), o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, foi exonerado do cargo para assumir mandato de deputado federal, devido ao processo burocrático. A exoneração foi publicada no DOE (Diário Oficial do Estado), desta quinta-feira (8).

De acordo com Resende, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) pediu à ministra Tereza Cristina (DEM) para articular a votação da reforma em segundo turno. Ela foi exonerada do cargo no ministério e assumiu a cadeira na Câmara dos Deputados. “Sempre que isso acontece, eu perco o cargo de secretário pois sou primeiro suplente da Tereza, mas é só papel burocrático”.

Na primeira votação da reforma, Resende também foi exonerado. Acontece que o secretário é primeiro suplente de Tereza, mas como os dois estão licenciados, já que ocupam outros cargos, quem assume a cadeira na Casa de Leis, é Bia Cavassa (PSDB).

“Quando Tereza assume como deputada, eu passo a ser primeiro suplente. Na primeira votação, precisei estar em Brasília, mas como fiz o juramento, desta segunda vez eu não preciso ir”.

Ainda conforme Resende, pela burocracia, é necessária a exoneração. “Passo a condição de deputado licenciado, a ministra deve voltar para o ministério hoje (8) de manhã e depois serei novamente nomeado secretário para Bia assumir em Brasília”.

Mais notícias