Odilon de Oliveira promete pedido de desfiliação ao diretório nacional do PDT

2º colocado nas eleições ao governo do Estado já fez pedido ao PDT-MS

Odilon de Oliveira, juiz federal aposentado que ficou em segundo lugar nas eleições ao governo do Estado em 2018, promete entrar em contato com a direção nacional do PDT para comunicar a sua desfiliação do partido em Mato Grosso do Sul.

Oliveira já comunicou a sua decisão ao PDT-MS no início do mês. “Já está praticamente decidido, mas ainda tenho uma conversa com o diretório nacional amanhã”, informou nesta segunda-feira (15). “Irei agradecer a direção nacional e desejar que o PDT caminhe defendendo os interesses do Brasil e a dignidade da pessoa humana, o que, aliás, é dever de qualquer agremiação política”, disse.

Em abril, o filho do juiz aposentado, vereador Odilon Júnior (PDT) anunciou ter renunciado à presidência municipal da sigla. O parlamentar leu a carta se despedindo do posto durante a sessão na Câmara Municipal de Campo Grande e confirmou que aguarda janela partidária para buscar outro partido.

Júnior destacou que a medida serve para ‘dar oportunidade para o partido fazer com liberdade a construção partidária que ele quer fazer’. “Nós vamos focar no mandato e eu tenho que resolver umas questões pessoais”, resumiu à época.

Há algum tempo pai e filho estariam se mostrando insatisfeitos com o partido e admitem ter conversado com outras siglas. No entanto, o vereador deve sair na janela partidária, prevista para o ano que vem, garantindo ‘tranquilidade para ambas as partes’, segundo pontuou.

A saída é considerada pelos políticos como mais um passo rumo ao PSD, onde atualmente está a família Trad. A evidência mais recente de aproximação do clã foi a indicação do titular da Sedesc na Prefeitura de Campo Grande, que era do grupo do PDT.

Mais notícias