Não tenho pretensão, mas não vou fugir, diz Moka sobre candidatura à prefeitura

Nome do ex-senador está em pesquisa do MDB como possível candidato a prefeito de Campo Grande

Durante a convenção municipal do MDB realizada neste sábado (28) em Campo Grande, para reeleição do presidente Ulisses Rocha, o ex-senador Waldemir Moka, que tem sido cogitado como um dos possíveis nomes para disputar a prefeitura de Campo Grande, afirmou não ter pretensão de disputar, mas não vai “fugir” se o partido assim o quiser.

O ex-senador lembrou no discurso das épocas difíceis que o partido enfrentou, mas das conquistas obtidas até o momento. Ele falou também sobre a possibilidade de disputar a prefeitura da Capital em 2020. “Quando dizem, o Moka pode ser candidato a prefeito, leia-se, se a decisão do partido for de ter um candidato próprio e não tiver outro”.

Ele citou nomes de políticos que já colocaram os nomes como possíveis pré-candidatos. “O [deputado estadual] Márcio Fernandes é um grande nome, o Loester foi vereador, deputado estadual, são nomes que têm pretensão”. 

Moka reforçou não ter pretensão. “Eu não tenho, mas se for para que o partido tenha candidato numa eleição municipal, eu estou aqui dizendo que não vou fugir, não tenho pretensão, mas não vou fugir”, concluiu. 

O presidente regional do MDB e ex-governador André Puccinelli, informou ter pedido uma pesquisa para consumo interno de possíveis nomes para candidatos a prefeitos. “Essa pesquisa através da população, vai dizer quem devemos lançar como candidato, se Márcio ou Moka”. 

Ainda segundo o ex-governador, em novembro o MDB deve divulgar quem vai disputar a prefeitura de Campo Grande.

Mais notícias