Não tenho essa necessidade de poder, diz Esacheu sobre candidatura a prefeito pelo PP

Progressistas se reuniram nesta sexta-feira em evento para discussão das eleições 2020

Agora no PP, o presidente da Santa Casa de Campo Grande, Esacheu Nascimento, afirmou que não tem “necessidade de poder”, ao comentar que a ida para o partido não representa, necessariamente, candidatura sua a prefeito em 2020. Segundo Esacheu, que foi articulador político do MDB durante anos, o Progressista espera um nome com maior representatividade para ser candidato ao Executivo municipal de Campo Grande.

A legenda afirma negociar a vinda da deputada federal Rose Modesto, do PSDB, que já deixou claro sua vontade de disputar novamente o Paço Municipal. A respeito desta articulação, Esacheu afirmou que está ‘nas mãos’ da executiva nacional do PP a incumbência de negociar a vinda da parlamentar federal – Rose, no entanto, tem dito que não cogita deixar o PSDB.

Gerson Claro (PP), deputado estadual, confirmou que o convite a Rose partiu do presidente nacional do PP, Ciro Nogueira. Segundo o parlamentar, ela teria ficado ‘encantada’ e demonstrado interesse. Contudo, existem questões burocráticas que impediriam a parlamentar de sair do PSDB. Sem correr o risco de perder o mandato por infidelidade partidária, Rose Modesto teria de aguardar a janela partidária – que só abre no ano que vem e, ainda assim, deve permitir a saída apenas para vereadores.

O presidente da Santa Casa afirmou que se disponibiliza à disputa, caso não encontrem alguém com mais peso até o ano que vem. Contudo, a ida para o PP é, a princípio, para organizar a legenda e viabilizar candidaturas.

Mais notícias