Não temos que prejudicar o trabalhador, mas sim cortar privilégios, diz Ayrton Araújo

Projeto da reforma da Previdência municipal pode ser incluída em pauta ainda na sessão desta terça-feira

O vereador do PT Ayrton Araújo, vai seguir a orientação do partido e votar contra o projeto de Lei da reforma da Previdência municipal, que chegou na manhã desta terça-feira (16) na Câmara de Vereadores de Campo Grande. 

A proposta foi entregue pessoalmente pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD). O projeto prevê aumentar a alíquota de contribuição de 11% para 14%. Se aprovado, a contribuição patronal também vai subir de 14% para 22%.

Araújo disse que vai acompanhar a orientação do partido, votando contra a reforma. “Como tem sido na esfera federal, as mudanças que venham tirar dos trabalhadores vou votar contra”.

O vereador defende ser preciso cortar privilégios que prejudicam os cofres públicos. “Não temos que tirar do trabalhador e sim ver as coisas que prejudicam mais os cofres públicos, prefeitura, governo. Poderia cortar os privilégios”.

Araújo não assinou o regime de urgência necessário para o projeto ser votado hoje. É preciso ter 20 assinaturas, dos 29 vereadores da Casa. “O prefeito veio, pediu para Casa porque precisa disso, pois futuramente não tem como pagar os funcionários. Então ele tenta organizar a Casa, ele disse que se tivesse condição, não faria isso”.

Mais notícias