Não assino e voto contra, diz vereadora sobre aumento de salários em Ribas

Projeto que entrou em discussão essa semana propõe reajustar vencimento de prefeito, vereadores e secretários em 28%

Primeira-secretária da Câmara de Vereadores de Ribas do Rio Pardo, a vereadora Fabiana Galvão (Patriotas) disparou contra proposta apresentada pela Mesa Diretora que prevê reajuste de 28% dos próprios salários, no do prefeito e secretários.

Ela contou ter ficando sabendo do projeto na terça-feira (08) pela manhã, antes dele entrar na pauta. “Falei pro presidente: vou votar contra. Ele falou: pelo jeito, é só você que vai”, detalhou. Segundo a vereadora, seu nome consta no escopo da proposta devido ao cargo de primeira-secretária, mas ela fez questão de não assinar por ser contrária ao reajuste.

Vereadora mostrou original do projeto que tramitou na Casa, sem sua assinatura. (Reprodução)

“Sou contra, não vou assinar”, enfatizou, explicando que o texto é assinado antes de ser enviado às comissões e deve entrar em votação na sessão da próxima terça-feira (15). Fabiana admite que não assinar o projeto antes da distribuição não é medida efetiva porque ela não tem prerrogativa de barrar a inclusão da proposta na pauta, mesmo como primeira secretária. “Eu posso não assinar e votar contra e é o que eu vou fazer”, disse.

Ela afirma ainda que apesar de se tratar de direito dos vereadores, o reajuste não deveria nem sequer discutido em momento de crise econômica do município. “Estamos com uma taxa de desemprego altíssima em Ribas. Como a gente vai aumentar nosso salário?”, questionou. Ela acredita que dos 11 vereadores da Câmara, somente mais um ou dois a apoiem na oposição ao projeto. “Vamos ser votos vencidos, mas nós estamos fazendo a nossa parte”, finalizou.

Aumento nos salários

A Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo apresentou projeto de lei de número 022/19 para reajustar o salário dos vereadores, prefeito, vice e secretários em 28%. Se for aprovado, os reajustes só serão contabilizados em 2021, quando inicia a nova legislatura municipal. Conforme a proposta da Mesa Diretora, o salário do prefeito, a partir de 2021 será de R$ 19.920,70; do vice-prefeito, R$ 9.960,34; secretários municipais, R$ 7.370,64 e dos vereadores, R$ 7.552,00.

Quem assina o projeto é o presidente da Casa de Leis, Paulo Henrique Pereira da Silva (PL) e o segundo secretário, Lourenço José da Silva (PL). Apesar de seu nome constar na lista devido ao cargo, a segunda secretária fez questão de não assinar o documento.

Conforme a justificativa apresentada para criação da proposta, desde 2012 não o salário destes servidores públicos não tem reajuste. Em 2016, a Câmara tentou aumentar, mas devido a ações populares, o projeto foi arquivado. A Mesa ainda diz que se fosse levado em conta a inflação, o salário do vereador subiria para R$ 8.565,48, mais de 45% de reajuste.

Atualmente, o prefeito Paulo Tucura (DEM), recebe R$ 15.563,05. O vice-prefeito, Luiz Carlos Dutra (PDT), ganha R$ 7.781,52. São onze vereadores e cada um recebe R$ 5.900,00.

São oito secretários municipais, um procurador jurídico e um coordenador de comunicação. Segundo o projeto, todos eles terão direito ao reajuste também. A proposta segue para as comissões, antes de ir ao plenário para votação.

Mais notícias