Muita desorganização, avalia Dharleng após brigas e caso de polícia no PP

Membros aguardam posicionamento de presidente municipal

A vereadora Dharleng Campos (PP) lamentou nesta terça-feira (14) durante sessão na Câmara a desorganização dentro do partido, que ganhou um novo episódio neste final de semana, após o vereador Valdir Gomes registrar um boletim de ocorrência contra o presidente regional Alcides Bernal.

“Não sei o que passou na cabeça dele [Bernal]. Não sei se quis fazer um desabafo, mas desrespeitou os parlamentares. Naquele grupo tem parlamentares de todo o interior e aqui de Campo Grande. Também me senti desrespeitada, os termos ali são de baixo calão, a situação ali ficou muito complicada”, disse.

Os membros aguardam um posicionamento do presidente municipal, o vereador Cazuza, sobre o assunto. “Precisamos ficar dentro de um partido que seja organizado e que nos dê condição de no ano que vem competir. Tem que respeitar os seus parlamentares. Nós precisamos estar dentro de um partido forte, infelizmente o nosso partido não está dessa forma”, relata a vereadora, que também já anunciou que deve deixar a sigla quando for aberta a janela partidária.

A maior reclamação dos progressistas, de acordo com a parlamentar, é a desorganização e a centralização na tomada de decisões que ficam restritas a Bernal. “Depois temos que ficar aceitando tudo que ele faz. Ele não se reúne com os parlamentares. Ele não nos escuta e não conversa. Por isso que eu penso em sair do partido”, revelou.

Segundo Dharleng, Bernal teria acusado a todos de traição. “Eu não o traí. Eu fiquei mais triste pelos termos de baixo calão que ele utilizou. Eu me solidarizo ao Valdir Gomes por tudo que ele passou, por tudo que ele teve que ler ali no particular, termos grosseiros. Infelizmente pelo que o Valdir nos passou atingiu até a mãe dele”, lamenta.

Mais notícias