MS e outros seis Estados planejam compra coletiva de medicamentos

Objetivo, segundo secretário de saúde do Estado, é dar 'fôlego' financeiro ao Governo

O secretário de Saúde do Governo do Estado, Geraldo Rezende (PSDB) participa nesta quarta-feira (29) de reunião em Brasília (DF) com outros seis Estados, que compõe o BrC (Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central), para tratar sobre a compra compartilhada de medicamentos, insumos e equipamentos.

O secretário é um dos defensores da compra compartilhada por entender que seria “uma excelente iniciativa, pois vai possibilitar que os estados façam aquisições de insumos, equipamentos e medicamentos a um custo muito mais baixo”.

De acordo com Rezende, a medida ajudará tanto os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde), quando os Estados, que teriam um “fôlego” financeiro. “Já que os gastos são crescentes, ao contrário das fontes de financiamento da saúde pública, que ao longo das últimas décadas têm permanecido no mesmo patamar em todo o país”.

A reunião desta quarta-feira faz parte da 6ª Assembleia do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e de encontro da CIT (Comissão Intergestores Tripartite), que discute programas, propostas legislativas e projetos para a melhoria do SUS em todo o país.

Nesta reunião os secretários estaduais de Saúde irão fazer ajustes na estrutura do projeto e discutir a lista de medicamentos prioritários a serem adquiridos. O objetivo do Consórcio Interestadual Brasil Central é que a primeira compra compartilhada de medicamentos seja realizada ainda este ano. (Com assessoria)

Mais notícias