Movimentos fazem protesto na Afonso Pena contra fim da prisão após 2ª instância

Grupos colam adesivos e planejam passeata para o fim da tarde

Pela prisão em segunda instância e contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, grupos se organizaram neste domingo (17) para fazer a adesivagem de carros no centro de Campo Grande. Os adesivos dizem ‘PEC prisão em 2ª instância já’ e contêm frases contra o ministro do STF. Segundo os organizadores, a recepção tem sido boa entre os motoristas que param no semáforo.

A organizadora da ação, Sirlei Ratier, explica que a adesivagem acontece desde as 8h30. Ela diz que não entende por que as pessoas não lutaram contra o fim da prisão em 2ª instância. Os organizadores imprimiram 800 adesivos.

Vestidos de verde e amarelo, os manifestantes participam do Movimento Pátria Livre, QG Unidos por Bolsonaro, Nas Ruas MS e Fora Corruptos. A adesivagem é uma ‘preparação’ para o buzinaço que deve acontecer no fim da tarde, às 17h30.

A auxiliar administrativa Cátia Silva, de 54 anos, teve o carro adesivado e acredita que o STF está sendo comprado porque está soltando os bandidos. “Não adianta a Polícia Federal prender e depois o STF soltar, precisamos tomar providências”, opina.

A participante dos movimentos Nas Ruas MS e Fora Corruptos, Fabrícia Sales, explica que luta contra a corrupção com a ajuda do marido, quando saem nas ruas para conversar com a população sobre o cenário político, desde 2014. Ela pede a saída do ministro Gilmar Mendes e diz que ele tem atitudes antidemocráticas. “Depois que o Bolsonaro assumiu, a população começa a enxergar quem ameaça a democracia, que é o STF. Isso traz uma insegurança jurídica”, diz.

O buzinaço está marcado para as 17h30 e a concentração deve ser em frente ao Obelisco, no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua José Antônio.

Mais notícias