Moro deve ser demitido e processo de Lula revisto, defende Kemp

Pedro Kemp (PT) usou a tribuna para falar sobre o assunto e não poupou o ex-juiz de críticas

A divulgação de conversas entre o coordenador da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, e o ex-juiz Sérgio Moro, repercutiram na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (dia 11).

Na tribuna, o deputado Pedro Kemp (PT) não poupou Moro, que hoje é ministro da Justiça, de críticas e até xingamentos. “Se mostrou partidário”, disse o parlamentar em um dos poucos momentos brandos da fala. O deputado Coronel David (PSL) pediu aparte para responder às críticas, mas Kemp não permitiu.

A liderança petista lembrou trecho em que procuradores discutem forma de inviabilizar a entrevista do ex-presidente Lula (PT) no período de eleição. Na conversa registrada no aplicativo do Telegram, eles afirmam que a exposição poderia eleger Fernando Haddad (PT), então candidato a presidente. “Quando o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou entrevista, não deixaram por medo”.

Kemp também disse que o presidente Jair Bolsonaro (PSL), quem escolheu o ex-juiz para seu governo, é uma “vergonha internacional”. “É urgente a anulação do processo que condena Lula, urgente a demissão do Moro e urgente que o STF se manifeste”.

Mais notícias