Manifestantes lavam entrada da SED com água e sabão

Administrativos da Educação prometem fazer greve se secretária não se reunir com categoria

Servidores administrativos da educação, que fazem manifestação em frente a Secretaria de Estado de Educação (SED), lavaram com vassoura, quiboa, água e sabão em pó, a entrada do prédio, localizado no Parque dos Poderes. Eles querem uma reunião com a secretária, Maria Cecília Amêndola da Motta para discutir sobre o reajuste salarial, até a próxima segunda-feira, dia 20 ou ameaçam fazer greve.

Os servidores administrativos estão no local há 1 hora, com caixas de som e microfone, pedindo a presença da secretária para conversar sobre o reajuste salarial. Uma viatura do Batalhão de Choque chegou no prédio com quatro policiais, reforçando a segurança do local, junto com Guardas Municipais.

Diretor de uma escola no interior do Estado que não se identificou, relembrou o caso de um servidor da secretaria que recebeu R$ 130 mil em um único mês, este ano. “Fomos questionar a SED e disseram que era diferença salarial, que o servidor tinha direito de receber o valor. Faltou tanto no salário desse servidor que ele não percebeu? Queremos R$ 200 para comprar arroz e feijão e não ostentar”.

O grupo é representado pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e pelos 74 Sinted (Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação).

Um dos pontos polêmicos é a retirada do abono salarial concedido aos administrativos da educação, já que na primeira reunião de servidores administrativos com o governo estadual, ocorrida em 24 de abril, foi descartado o pagamento do abono. 

Mais notícias