Mandetta vai lançar em Campo Grande novo programa do Ministério da Saúde

Informações foram repassadas em agenda com o prefeito Marquinhos Trad (PSD)

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta anunciou, em agenda com o prefeito Marquinhos Trad (PSD) em Brasília nesta quarta-feira (17), que virá a Campo Grande na próxima segunda-feira (22) para lançar programa de saúde inédito no País.

A Capital será a primeira cidade do País a receber o programa intitulado Saúde na Hora, que prevê ampliar horário de atendimento nos serviços de atenção primária – como consultas médicas, odontológicas, coleta de exames, pré-natal.

Na proposta, está prevista ampliação dos recursos mensais ao município que estender o funcionamento das unidades para o período noturno, horários de almoço e finais de semana. Na Capital, a prefeitura já tem ampliado o horário de atendimento de algumas unidades, como a Unidade Especializada de Reabilitação e Diagnóstico, localizada na Vila Almeida, e que desde junho estava em funcionamento das 7h às 17h e recebeu mais 1h30 adicional.

Segundo a prefeitura, Campo Grande é a segunda cidade do País com o maior número de unidades habilitadas no programa, ficando atrás somente de Fortaleza (CE).

Fora das emendas

A ida do prefeito Marquinhos a Brasília foi em busca de recursos para a Capital. Na área da saúde, o município busca incremento na verba de serviços como as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e SAD (Serviço de Atendimento Domiciliar).

“É uma notícia muito importante. Apresentamos projetos e a necessidade de investimento na saúde da nossa Capital. Agora, recebemos uma sinalização positiva do ministro Luiz Henrique Mandetta, que estará em Campo Grande na próxima semana para anunciar este investimento”, afirmou Marquinhos após o encontro. Para a visita do ministro é esperado também o anúncio de novos investimentos no setor.

A ida de Marquinhos a Brasília contou com a presença dos secretários municipais de Saúde, José Mauro Filho; de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, e o procurador Alexandre Ávalo. O senador Nelsinho Trad (PSD) e o então deputado federal Geraldo Resende (PSDB) também participaram da reunião com Mandetta. (Com assessoria)

Mais notícias