Lava Jato investigou FHC para não perder apoio popular, revela novo vazamento

Além disso, Moro repreendeu procuradores pois apuração poderia 'melindrar' alguém cujo apoio era importante

Novas mensagens atribuídas a conversas entre o ex-juiz Sérgio Moro e procurador federal Deltan Dallagnol foram reveladas no fim da tarde desta terça-feira (18) pelo site The Intercept. Dessa vez, os diálogos indicam que a Lava Jato investigou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para seguir com apoio popular.

A conversa teria ocorrido no dia 13 de abril de 2017, segundo o site, o mesmo que já havia revelado conversas relativas a fragilidade das provas contra outro ex-presidente, Lula (PT), e sobre o apoio recebido do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux.

Dessa vez, a participação de Moro no diálogo foi para repreende-los diante da possibilidade de perder o apoio de FHC e seguidores do mesmo. “Acho questionável pois melindra alguém cujo apoio é importante”, revela a mensagem.

Moro também teria consultado Deltan sobre se havia de fato algum indício de ilegalidade cometida pelo tucano. “O que vi na TV pareceu muito fraco? Caixa 2 de 96?”, diz o ex-juiz, respondido pelo procurador. “Foi enviado pra SP sem se analisar prescrição”.

Em nota ao blog do Fausto Macedo, no Estadão, Moro se defende das acusações e diz não reconhecer a autenticidade das “supostas mensagens obtidas por meios criminosos, que podem ter sido editadas e manipuladas, e que teriam sido transmitidas há dois ou três anos”. Ele ainda chamou o conteúdo divulgado como “mero sensacionalismo”.

Mais notícias