Gerson Claro tenta, por telefone, resolver direção do PP em MS com nacional

Sem presidente, partido não pode fazer movimentações bancárias nem filiar novos quadros

Sem comando em MS desde o dia 11 deste mês, quando foi encerrado o mandato de Alcides Bernal, o Partido Progressista segue sem poder fazer nenhum tipo de movimentação bancária nem filiar novos quadros. Diante o impasse, o deputado estadual Gerson Claro (PP) informou que fará, por telefone, tentativa de resolver a situação junto à direção nacional.

“Ficamos de falar com a nacional amanhã [20] por telefone”, informou o parlamentar, que nesta segunda-feira (19) aguardava a chegada do deputado estadual Evander Vendramini (PP) de Corumbá para tratar do assunto. Conforme Gerson Claro, a conversa será para saber o que vai ser feito e se haverá alguma reunião para tratar da presidência do diretório.

Na avaliação dele, a situação da legenda é ruim administrativamente, pois a regional não consegue nem sequer fazer movimentação bancária sem presidente constituído. A situação causa também problemas políticos, pois não é possível filiar novos quadros.

Lideranças progressistas estão num impasse sem saber se a escolha do nova presidência do diretório será feita no âmbito regional ou definida pela direção nacional do partido. A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, e foi informada de que ele não costuma se manifestar sobre questões locais, mas ainda não foi emitido posicionamento oficial da executiva nacional sobre a situação do partido em MS.

Mais notícias