Geraldo admite atrasos da Saúde, mas contesta valor de R$ 12 milhões na Capital

O secretário de Saúde ainda afirma que já repassou R$ 51 milhões em 2019 e que 'máquina' de Campo Grande absorve muitos recursos

O chefe da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende, admitiu que existe atraso nos repasses para a prefeitura de Campo Grande, conforme reclamou o prefeito Marquinhos Trad (PSD), nessa manhã. Porém, ele contesta o valor informado, que segundo o chefe do Executivo, já somaria R$ 12 milhões.

“Só neste ano já repassamos R$ 51 milhões para Campo Grande. Está dentro do esperado alguns atrasos. Acredito que não seja esse valor todo [atraso de R$ 12 milhões], mas precisamos checar melhor”, frisa o secretário.

Resende ainda comenta acreditar que o município passa por dificuldades na área da saúde pública não por causa dos repasses do Estado, mas sim por ter uma “máquina pública muito grande” e que absorve parte substancial dos recursos.

“Mas não quero fazer essa discussão através da imprensa, quero evitar esse debate dessa forma. Precisamos sentar e conversar sobre isso para resolver”, explicou Geraldo, que também reconhece a situação difícil pela qual passa a saúde.

Mais notícias