Famasul e mais 8 entidades chamam de ‘obscura’ tramitação que aprovou projeto de Reinaldo

Eles afirmam que houve desrespeito ao agronegócio e que não havia necessidade de aumentar o Fundersul.

A Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) e outras oito entidades do agronegócio divulgaram nota de repúdio à tramitação ‘obscura’ do Projeto de Lei 283/2019, aprovado nesta quarta-feira (13) pela ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) aumentando impostos do agronegócio.

A proposta foi aprovada com 15 votos favoráveis e apenas cinco contrários. Foram contra o aumento os deputados estaduais Cabo Almi (PT), Pedro Kemp (PT), Coronel David (PSL), Capitão Contar (PSL) e João Henrique Catan (PL).

Em nota, as entidades do setor criticaram a forma como o projeto enviado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tramitou. “Contrariando o trâmite habitual de projetos dessa magnitude, a aprovação ocorreu em regime de urgência, sem a devida possibilidade de argumentação técnica das entidades que representam as cadeias produtivas da agropecuária”, diz trecho da manifestação. 

Segundo a categoria, a análise comprovaria a não necessidade de aumento do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado do Mato Grosso do Sul). Em nota, o setor diz que a aprovação do projeto irá impactar toda a cadeia produtiva sul-mato-grossense. A postura dos parlamentares em endossar projeto de aumento de tributos do Governo do Estado também foi classificada como desrespeito ao setor agropecuário.

Produtores rurais já se organizam para recorrer à Justiça apontando inconstitucionalidade na legislação aprovada pela ALMS.

Confira a íntegra da nota divulgada pelas entidades do setor:

As entidades abaixo relacionadas repudiam a forma abrupta e obscura com que foi tramitado, nesta quarta-feira (13), na Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 283/2019, de autoria do Executivo.

Contrariando o trâmite habitual de projetos dessa magnitude, a aprovação ocorreu em regime de urgência, sem a devida possibilidade de argumentação técnica das entidades que representam as cadeias produtivas da agropecuária, e que comprovaria a não necessidade de aumento do Fundersul.

O projeto hoje aprovado impacta negativamente toda a sociedade sul-mato-grossense, e reflete o mais forte desrespeito ao setor agropecuário, um dos responsáveis pelo equilíbrio econômico do estado.

. – Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) -ABPO (Associação Brasileira de Pecuária Orgânica de MS) – Ampasul (Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Algodão) – Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de MS) – Asumas (Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores) – Avimasul (Associação dos Integrados da Avicultura de MS) – MNP (Movimento Nacional dos Produtores) – Novilho Precoce MS (Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Novilho Precoce) – Reflore/MS (Associação Sul-mato-grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas) – Sistema OCB/MS (Organização das Cooperativas Brasileiras no MS)

As entidades abaixo relacionadas repudiam a forma abrupta e obscura com que foi tramitado, nesta quarta-feira (13), na…

Publicado por Sistema Famasul em Quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Mais notícias