Em sessão com prisões de vereadores, Junior Rodrigues é absolvido e segue mandato na Câmara de Dourados

Julgamento foi tumultuado pelas prisões de Cirilo e Pepa durante a tarde desta sexta-feira

O julgamento do vereador Junior Rodrigues (PL) na Câmara de Dourados na sessão especial desta sexta-feira (30) foi tumultuado com as prisões de Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB) e acabou com a absolvição do parlamentar na denúncia pelo suposto crime político-administrativo em contratos firmados entre a Prefeitura e empresas prestadoras de serviço para o Município.

A sessão foi iniciada com a leitura do relatório da comissão processante que pediu a absolvição com dois votos a um. O voto pela condenação foi justamente da presidente Daniela Hall (PSD) que explicou os motivos durante fala no plenário.

Daniela falou dos motivos de seu voto (Renato Giansante, Midiamax)

“Votei de forma divergente dos meus colegas da comissão por entender que há o crime de tráfico de influência do vereador nos autos. Uma das testemunhas disse ser amiga íntima do vereador que era o líder da prefeita na Casa. Dessa forma analiso que houve esse crime e por isso meu voto pela cassação”, disse Daniela.

A denúncia partiu da advogada e ex-vereadora Virgínia Magrini em maio deste ano. Baseada em dados da CGU (Controladoria-Geral da União) ela acusou Rodrigues de ter participação em um contrato de uma lavanderia que prestava serviço para a prefeitura e teria usado funcionários e ex-assessores de seu gabinete no negócio.

Após as falas de alguns vereadores inscritos os advogados de defesa do ex-líder de Délia Razuk usaram a tribuna para argumentar em prol da absolvição. Durante o discurso, policiais civis e membros do Ministério Público chegaram na Câmara para efetuar as prisões de Cirilo e Pepa. Mesmo com a saída da dupla a sessão seguiu.

Votaram pela cassação os vereadores Daniela Hall (PSD), Alan Guedes (DEM), Elias Ishy (PT), Madson Valente (DEM) e Toninho Cruz (PSB).

Os favoráveis a absolvição foram Olavo Sul (Patriota), Carlito do Gás (Patriota), Cido Medeiros (DEM), Silas Zanata (Cidadania), Jânio Miguel (PL), Bebeto (PL), Maurício Lemes (PSB), Sérgio Nogueira (PSDB), Romualdo Ramin (PDT) e Braz Melo (PSC).

Juarez de Oliveira (MDB) não participou da sessão e com as saídas de Pepa e Cirilo houve a absolvição por 10 votos à 5.

Câmara julgou a denúncia contra Junior Rodrigues (Renato Giansante. Midiamax)
Mais notícias