Eduardo Rocha diz que tendência é MDB apoiar reeleição de tucano em Três Lagoas

Partido não deve ter candidatura própria no município que comandou por quatro gestões consecutivas.

Sem poupar elogios à gestão de Ângelo Guerreiro (PSDB), o deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) confirmou que a tendência é o partido não lançar candidatura própria para apoiar a reeleição do tucano em Três Lagoas.

O que o presidente [do diretório municipal] falou é o que a gente está escutando na cidade: estou vendo Três Lagoas como um canteiro de obras”, afirmou o parlamentar, destacando que Guerreiro é um ‘prefeito trabalhador’. “Não tenho dificuldade nenhuma do MDB apoiar a reeleição dele. Eu acho muito difícil alguém tirar a reeleição do Guerreiro. Não tem nome despontando e ele está com a gestão organizada, com obras, as contas em dia”, completou.

Segundo Eduardo, a postura é a mesma de outros integrantes do diretório municipal do partido, mesmo com o MDB não compondo a atual administração. O vereador Antônio Empke (MDB), o Tonhão, chegou a ocupar a secretaria de Desenvolvimento Econômico, mas desistiu do cargo para retornar à Câmara.

O MDB também não fez parte da coligação que elegeu Guerreiro em 2016. “Não apoiamos e nem fomos contra”, destaca Eduardo Rocha. Segundo ele, o partido optou por seguir a diretriz da Capital e não lançar candidato nem coligar na cabeça de chapa. As lideranças teriam sido então liberadas para apoiarem quem desejassem. “E a maioria apoiou Guerreiro”, garantiu.

Sem nome 

O parlamentar lembrou que o MDB comandou Três Lagoas por quatro vezes seguidas e credita à atuação do partido a expansão do município. “Quase que a totalidade das fabricas que a cidade tem foi levada pelas mãos do MDB”, disse. 

Apesar disso, ele avalia que não há nome para disputar o comando do município novamente. No caso da senadora Simone Tebet (MDB), uma das maiores lideranças do partido e ex-prefeita de Três Lagoas, a prioridade é cumprir o mandato. “Sem chance dela disputar”, enfatizou Eduardo.

Conforme o parlamentar, o esforço no município será na chapa proporcional. Vice-presidente do diretório municipal, ele explica que o projeto é fazer quatro vereadores. “Estou indo pra la semana que vem, vou fazer filiação de inúmeras lideranças”, adiantou. Apesar da tendência, disse, a decisão final sobre apoio ao Guerreiro será tomada em conjunto pelo diretório. “Queremos o bem da cidade”, finalizou.

Mais notícias