Discussão de Bolsonaro com Macron vira bate-boca na ALMS e pedido de repúdio

Postagens nas redes sociais foram temas de discussão entre deputados

O deputado estadual Marçal Filho (PSDB) usou a tribuna da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) nesta terça-feira (27) para reclamar da postagem do presidente da França Emmanuel Macron sobre as queimadas na Amazônia. O tema virou discussão entre os parlamentares, que se uniram para solicitar uma indicação ao senador Nelsinho Trad (PSD), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, de repúdio ao presidente europeu.

O tucano afirmou na tribuna que Macron teria pedido ao Brasil para abrir mão da soberania nacional. “O Brasil não pode abrir mão da soberania, apesar da Amazônia ser um bem mundial, patrimônio imaterial. Presidente de um país que está mal e quer falar do nosso. Vai mandar no seu quintal, vai cuidar da sua floresta. Não aceito esse tipo de discurso”, disse Marçal.

O petista Pedro Kemp fez pedido de parte no discurso, afirmando lamentar a situação do país. “Todo dia eu tenho vergonha de assistir o que diz o presidente da República. As queimadas foram incentivadas pela irresponsabilidade do Bolsonaro”.

Coronel David (PSL) criticou o parlamentar, dizendo que a fala de Kemp não se baseava ‘em nada’. “O Brasil só precisa se acostumar a não ser mais governado por hipócritas. Às vezes o presidente fala alguma coisa e o Kemp distorce. Olha aqui, tem matérias da época em que a Dilma era presidente afirmando que o desmatamento na Amazônia aumentou 215%”.

Zé Teixeira (DEM) também usou a parte para citar que 75% das florestas no Brasil ainda são preservadas. “Quando queimaram as florestas de Portugal e da Califórnia, nos Estados Unidos, ninguém falou nada”.

Kemp rebateu as falas dos deputados. “Fico indignado de ver parlamentares defendendo a situação. Esses países como a Noruega e a França têm consciência ambiental porque hoje sentem o efeito do desmatamento. Veja o clima na Europa, matando idosos por conta do calor. E a gente tem que aqui ouvir os deputados defendendo atos irresponsáveis do Bolsonaro”.

Capitão Contar (PSL) contestou. “O seu presidente está preso e o povo está vendo o que o Bolsonaro está fazendo. Vamos acabar com essa hipocrisia”. Do plenário, Kemp pediu para que a imprensa anotasse que Contar afirmava que o desmatamento estava caindo.

“Isso vai contra todos os dados apresentados pelo próprio governo. Essas queimadas devem ser indígenas fazendo dança do fogo para ver se chove”, ironizou.

Ao fim da sessão, Contar mostrou uma tabela com dados sobre queimadas impressa do site do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) que aponta que o índice de área queimada por bioma por ano diminuiu em 2019. Confira aqui o link.

Discussão de Bolsonaro com Macron vira bate-boca na ALMS e pedido de repúdio

Discussão de Bolsonaro com Macron vira bate-boca na ALMS e pedido de repúdio
Mais notícias