40 anos depois, primeiros deputados de MS relembram ditadura e rivalidades

Ex-parlamentares celebraram hoje da Assembleia quatro décadas desde a Constituinte estadual

Deputados na época em que Mato Grosso do Sul dava os primeiros passos como Estado relembram a trajetória e destacam diferenças em 40 anos. Nesta terça-feira (dia 11), a Assembleia Legislativa do Estado comemora a data da Assembleia Estadual Constituinte, criada para elaborar a Constituição do Estado.

Desentendimentos que levaram à nomeação de três governadores em quatro anos e o autoritarismo da ditadura foram recordados pelos ex-parlamentares Walter Carneiro e Sérgio Cruz, que foram à Casa de Leis nesta manhã acompanhar o descerramento da placa que lembra um dos capítulos da história de MS.

Presidente da Assembleia Legislativa de 1983 a 1984, Walter conta que foi deputado por três mandatos, de 1979 a 1991. A homenagem de hoje, para ele, é importante para relembrar a instalação do Estado e para contar a história.

“A geração de hoje não sabe. Tivemos problemas na primeira legislatura, os governadores eram nomeados, a classe política não se entendia”, afirma. Harry Amorim Costa, por exemplo, foi nomeado governador, mas “não conhecia o Estado” e não conseguiu união entre os políticos.

Outros nomes foram escolhidos, como o de Marcelo Miranda, e Pedro Pedrossian, que era a preferência do então presidente da República, Ernesto Geisel, só assumiu o posto quando João Figueiredo estava no comando do País. “Então, Dr. Pedro ficou por dois anos e meio até a primeira eleição, que ocorreu em 1982”.

Depois de presidir os trabalhos no legislativo, além de dirigir a Assembleia por oito anos, Walter se aposentou do cargo que tinha no Estado. “E fui para casa”, brincou o ex-deputado ao lembrar que cuida dos netos hoje em dia. “Recebemos com carinho [a homenagem] e gratidão por relembrarem aqueles que realmente iniciaram a história do Estado”.

Deputado estadual entre 1979 e 1983, na primeira legislatura, Sérgio Cruz considera o modo de governar como a principal diferença de 40 anos para cá. “Naquele tempo da abertura do Estado, nós vivíamos em regime de recessão, vivíamos uma ditadura. A própria Constituição foi contaminada pelo autoritarismo”. Além de deputado estadual, Cruz também ocupou uma cadeira na Câmara Federal por um mandato.

No dia 1º de janeiro de 1979 foram empossados 18 deputados constituintes: Alberto Cubel, Ary Rigo, Cecílio Gaeta, Getúlio Gideão, Horácio Cerzósimo, Londres Machado, Odilon Nacasato, Onevan de Matos, Osvaldo Dutra, Paulo Saldanha, Ramez Tebet, Roberto Orro, Rudel Trindade, Sérgio Cruz, Sultan Rasslan, Valdomiro Gonçalves, Walter Carneiro e Zenóbio dos Santos.

Na época, a solenidade de promulgação foi presidida por Londres Machado, que hoje é deputado novamente, quando a Assembleia Constituinte passou a ser denominada Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e os deputados constituintes tornaram-se deputados estaduais.

Ainda há no calendário de comemorações a realização de sessão solene, no dia 25 deste mês, em homenagem aos parlamentares da época, lançamentos da TV Assembleia em canal aberto e também de prêmio de Jornalismo.

Mais notícias