Delcídio cita ‘vontade grande’ de disputar prefeitura e projeta Governo em 2022

Sobre aliança com MDB de André Puccinelli para 2020, ex-senador chamou situação de 'namoro' e deixou quadro em aberto

O ex-senador Delcídio do Amaral assumiu neste sábado (21) o comando regional do PTB e já projeta as duas próximas eleições. Para 2020, ele afirma que ainda não há nada definido, mas que “está dando uma vontade grande” de concorrer a prefeitura de Campo Grande. Sobre 2022, ele quer entrar na disputa pelo Governo do Estado.

Após ficar no Senado entre 2003 e 2016, pelo PT, inclusive sendo líder do Governo Federal na Casa, Delcídio voltou a concorrer ao posto de senador em 2018 pelo PTC, depois de ser inocentado da ação que resultou em sua cassação.

Agora, ele retorna ao cenário político projetando disputas pelo Executivo. O ex-senador nunca concorreu a prefeitura de Campo Grande, mas já disputou duas vezes o Governo do Estado. “Não sei se vou ser um governador melhor ou pior, mas vou ser, e a turma não vai esquecer”, diz Delcídio, já em tom eleitoral, completando em seguida.

“Sabe aquela música do Seu Jorge? ‘Tou namorando aquela mina, mas não sei se ela me namora’. Estamos assim”, brinca Delcídio sobre uma possível aliança entre PTB e MDB no ano que vem, e mais especificamente entre ele e André, a quem chamou de “futuro prefeito ou quem sabe governador” durante o evento.

Vários membros do MDB, como o ex-vereador Paulo Pedra e o ex-deputado estadual Paulo Duarte, além do presidente municipal emedebista Ulisses Rocha, compareceram a posse de Delcídio no comando petebista. O ex-senador comentou a mudança de comando, disse que a transição foi tranquila e falou sobre política de uma forma geral.

“Nunca vi uma transição tão pacífica e comprometida com o partido e nossa gente”, comenta, acrescentando. “Tem políticos que falam com toda pose em Brasília mas não aparecem aqui para ouvir o povo. Nós vamos fazer diferente. Assim que se faz política, com coragem e não fugindo atrás de gabinetes”, frisa.

Por fim, Delcídio ainda desabafou sobre as questões que respondeu judicialmente. “Fui vítima de uma das maiores aberrações jurídicas e três anos e oito meses depois fui absolvido e as provas anuladas, em 10 minutos”. Ele ainda completa que o PTB fará política com tudo as claras e que o Estado precisa sair da mesmice atual.

Mais notícias