Reforma na previdência municipal aumenta contribuição da Prefeitura e dos servidores

Projeto deve ser votado em urgência e eleva percentual patronal de 14% para 22% e dos servidores de 11% para 14%

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), apresentou nesta terça-feira (16) o projeto de Reforma da Previdência dos servidores municipais, que aumenta a alíquota de contribuição patronal, ou seja, bancada pela Prefeitura, de 14% para 22%, e dos servidores de 11% para 14%.

Os vereadores querem pautar o projeto em regime de urgência para ser votado ainda hoje. Para isso, serão necessárias 20 assinaturas. O prefeito Marquinhos Trad levou em mãos o projeto e deixou a Casa de Leis sem conceder entrevista.

Rocha explicou que uma emenda foi apresentada ao projeto, que foi discutido entre os parlamentares e com o prefeito a portas fechadas, para que a contribuição municipal nunca seja inferior aos 22% propostos.

“Não há perspectiva da inclusão dos Estados e municípios na reforma da previdência que tramita no Congresso Federal, até porque essas alíquotas de 14% já estão definidas”, disse Rocha ao explicar a apresentação do projeto antes do recesso do primeiro semestre.

Regimentalmente, a sessão na Câmara começa às 9h, mas a reunião terminou por volta das 10h30, com início dos trabalhos no plenário em seguida.

Professores da REME (Rede Municipal de Ensino) se reuniram para acompanhar a sessão, acreditando que o projeto de reajuste da categoria seria votado nesta terça, mas a previsão é que a medida seja votada apenas no segundo semestre.

Mais notícias