Quem são os 21 vereadores que votaram para cobrar ‘aos poucos’ o ISS do Consórcio Guaicurus

Projeto de lei enviado pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) foi aprovado em regime de urgência especial nesta terça-feira (08)

Saiba quais foram os vereadores de Campo Grande que aprovaram por 21 votos a 6, em votação nesta terça-feira (08), o Projeto de Lei Complementar enviado pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) para retomada escalonada do ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) sobre o Consórcio Guaicurus.

A isenção do Consórcio vence no dia 31 de dezembro e a cobrança seria feita integralmente a partir de janeiro de 2020. Mas, conforme texto aprovado pela Câmara Municipal, o índice do ISS a ser cobrado em 2020 será de 1,5%, subindo para 3% em 2021 e, por fim, chegando a 5% somente em 2022. Votaram sim pela aprovação da cobrança parcelada do ISS sobre as atividades do Consórcio Guaicurus os vereadores:

Ademir Santana (PDT)

Ayrton Araújo (PT)

Betinho (Republicanos)

Carlão (PSB)

Cazuza (PP)

Chiquinho Telles (PSD)

Delegado Wellington (PSDB)

Dharleng Campos (PP)

Antônio Cruz (PSDB)

Dr. Cury (sem partido)

Eduardo Romero (Rede)

Enfermeira Cida Amaral (Pros)

Fritz (PSD)

Gilmar da Cruz (Republicanos)

João César Mattogrosso (PSDB)

Júnior Longo (PSB)

Odilon de Oliveira (PDT)

Pastor Jeremias Flores (Avante)

Valdir Gomes (PP)

Veterinário Francisco (PSB)

William Maksoud (PMN)

Antes da votação, o vereador Vinícius Siqueira (DEM) chegou a propor emenda pedindo retomada dos 5% integralmente, mas ela foi rejeitada por 19 votos. Além dele, votaram contrários ao projeto da prefeitura os vereadores André Salineiro (PSDB), Dr Lívio (PSDB), Dr Loester (MDB), Wilson Sami (MDB) e Papy (SD). O presidente João Rocha (PSDB) não vota e o vereador Otávio Trad (PTB) faltou a sessão por estar em Brasília.

Seis vereadores foram contra projeto; Vinícius Siqueira chegou a propor emenda para cobrança cheia de 5% em 2020. (Reprodução)
Mais notícias