Candidato único para mandato ‘tampão’, Franjotti é o novo prefeito de Japorã

Ele precisava apenas do próprio voto para se eleger, mas recebeu sinal positivo de 0.000 eleitores do município

O dia foi de votação em Japorã, município localizado no extremo sul de Mato Grosso do Sul, próximo de Mundo Novo, na fronteira com o Paraguai. O vencedor foi Paulão Franjotti (PL), candidato único na eleição suplementar que escolheu o substituto do petebista Vanderley Bispo, cassado pela Justiça Eleitoral.

Precisando apenas do próprio voto para ser eleito e cumprir o mandato tampão até o fim de 2020, ano da próxima eleição regular, Franjotti já soma 1.885 votos dos 5.439 possíveis em Japorã – esse é o total de eleitores locais. A apuração está em 66%. Ex-presidente da Câmara, ele já estava à frente com a queda de Bispo.

Já com 14 das 21 seções eleitorais fechadas, a abstenção até o momento está em 38,15%, com 1.276 não indo às urnas. Além disso, houveram por ora 131 votos brancos e 53 nulos, somando índice de 8,89% entre os não válidos.

A eleição suplementar foi convocada após afastamento do prefeito Vanderley Bispo (PTB), do vice-prefeito Gilvan Antônio Perin (PSDB) e da vereadora Daiana Vilharva (PRP), por captação ilícita de voto nas eleições de 2016.

Segundo informado pelo cartório eleitoral de Japorã, não houve nenhum registro de problema durante a votação. Foram instaladas nove urnas eletrônicas na cidade, cinco no distrito de Jacareí e sete na Aldeia Porto Lindo – conhecida como Yvy Katu. Nenhum dos equipamentos precisou ser substituído.

Duas chapas haviam feito pedido de registro de candidatura. A primeira, encabeçada por Paulo César Franjotti (PL), então vereador e ex-presidente da Câmara, tendo como vice Gabriel José Klasmann, foi a única aceita pela Justiça Eleitoral.

Mais notícias