Bolsonaro admite conversar sobre presidência do PSL com parlamentares

O presidente assumiu a veracidade do áudio vazado em que conversa sobre o assunto

https://www.youtube.com/watch?v=bognNz8G924O presidente Jair Bolsonaro admitiu conversar sobre a presidência do PSL (Partido Social Liberal) com alguns parlamentares. No Palácio da Alvorada, nesta quinta-feira (17), Bolsonaro falou com jornalistas sobre o assunto, e afirmou que o grampeamento da ligação foi um ato desonesto, mas não entrou em detalhes sobre o assunto.

“Eu falei com alguns parlamentares, me gravaram? Deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Eu não trato publicamente desse assunto (PSL), converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone, primeiro é uma desonestidade, tá ok?”, comentou para os jornalistas.

“Tirar um líder, e botar um outro”

Em um áudio divulgado pelo jornal O Globo, Jair Bolsonaro comenta sobre a possível saída do atual presidente do PSL, Luciano Bivar. “Nós estamos com 26 votos, falta uma assinatura para a gente tirar um líder e botar um outro. Da maneira que está, que poder tem nas mãos o presidente, líder aí?”, questiona no áudio.

Logo em seguida o presidente já responde a questão, afirmando que nesta posição existem vários pontos positivos. “Indicar pessoas, de arranjar cargos no partido, promessa para fundo eleitoral por ocasião das eleições”, ressalta.

Bolsonaro e seus apoiadores já tentaram emplacar Eduardo, filho de Jair, na liderança PSL. Na quarta-feira (16), o grupo de bolsonaristas somou 27 assinaturas para tirar Waldir Soares, mas a ação foi combatida com outra lista, apresentada por deputados alinhados a Luciano Bivar. A lista de Bivar contava com 32 nomes.

Depois da contrapartida, o grupo de Bolsonaro apresentou uma segunda lista com 27 nomes. Os apoiadores alegaram que o grupo contrário havia usado uma lista antiga para tentar manter Waldir na liderança.

As duas listas ainda serão checadas pela administração da Câmara, a autenticidade das assinaturas também será conferida. Por enquanto a lista que vale é a última apresentada, caso não apresente erros e fraudes. Entretanto para valer, é necessário que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chancele a troca.

Escute o áudio:

 

Mais notícias