Bernal aposta que Rose permanece no PSDB e será vice de Marquinhos

Deputada havia sido apontada por progressistas como nome para presidência do partido.

Após deputados progressistas revelarem que seguravam a presidência do PP em MS aguardando definição da deputada federal Rose Modesto (PSDB), o ex-presidente regional do partido Alcides Bernal (PSDB) disse que ela permanecerá no ninho tucano e será indicada vice na chapa à reeleição do prefeito Marquinhos Trad (PSD).

“Acho que ela não sairá do partido dela, vai perder tudo que ela tem no Governo. O irmão na Assembleia [deputado estadual Rinaldo Modesto, PSDB] também não vai admitir. Acho que a Rose vai ser a vice do Tradeca (sic) [Marquinhos Trad]”, alfinetou Bernal.

Publicamente, a parlamentar tem reiterado que não poderá compor a chapa do PSD, apesar do compromisso assumido pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) de apoiar a reeleição na Capital. Questionada sobre a fala dos progressistas, ela afirmou ao Jornal Midiamax não existir tratativa sobre o assunto.

Em 2016, a tucana foi adversária de Marquinhos e já demonstrou interesse em disputar novamente a prefeitura. Para Bernal, contudo, ‘quem manda é o Reinaldo’ e prevalecerá o compromisso assumido pelo governador. Outra aposta de Bernal para a composição com Marquinhos é da indicação do chefe de gabinete Carlos Alberto de Assis (PSDB) como vice-prefeito.

Futuro do PP

Sobre os planos futuros, Bernal disse que sonha em ser deputado federal pelo PP. Entretanto, não descarta disputar a prefeitura no ano que vem. “Mas não decidi. Tenho 40 pré-candidatos a vereadores”, afirmou.

Ele também disparou contra correligionários dizendo que os deputados progressistas não podem impedir sua eventual candidatura e que têm seus mandatos garantidos. A avaliação é a mesma para os três vereadores do PP que, segundo Bernal, têm assegurada a participação na disputa.

Sobre a possibilidade de ter a candidatura impugnada, como ocorreu nas últimas eleições, ele diz que irá ‘fazer sua parte como cidadão’ defendendo o melhor para os campo-grandenses.

Mais notícias