Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Barbosinha diz que governo entrega PDV na próxima semana com sugestões de sindicatos

Projeto seria encaminhado nesta semana

Líder do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Barbosinha (DEM) disse nesta quinta-feira (14) que o governo vai encaminhar o projeto de lei para regulamentar do PDV (Plano de Demissão Voluntária) na próxima semana para a Casa.

A previsão era que o projeto chegasse até esta sexta-feira (15), mas segundo Barbosinha, o governo ouviu os sindicatos e resolveu acatar algumas das sugestões propostas, atrasando o envio.

“O governo ainda está formatando o projeto, ouvindo as sugestões dos sindicatos. A dilação vai se dar por diálogo com as categorias, então é algo positivo. Apesar do governo ter pressa, não quer fechar a porta para o diálogo”, disse.

Segundo Barbosinha, acatar as sugestões vai facilitar a discussão do projeto na Assembleia. “Isso facilita até mesmo o trabalho dos parlamentares, quando o próprio governo já atende algumas das reivindicações das categorias”.

Projetos

De acordo com a assessoria da gestão de Reinaldo Azambuja, a restituição da jornada normal de trabalho de 40 horas semanais, que é um ato realizado por decreto do Executivo, evitaria gastos desnecessários com concursos e contratações e igualando à carga dos demais trabalhadores brasileiros.

Números divulgados pelo governo estadual mostram que pelo menos 32,5% dos servidores ativos devem ser atingidos pelo aumento de jornada, reduzida para seis horas semanais ainda em 2004.

O governo espera que a medida represente, na prática, melhora na prestação de serviços públicos à população, e alega que esse acréscimo de duas horas diárias de trabalho equivale à contratação de quatro mil funcionários, mas sem resultar em um aumento significativo de gastos.

Já a proposta de PDV se soma a outras medidas, como renegociação da dívida do Estado, definição de teto de gastas, reforma administrativa e da previdência, a fim de manter saúde financeira de Mato Grosso do Sul. Após as conversas com as categorias, o projeto será enviado para apreciação dos 24 deputados estaduais.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...