Aprovado projeto de lei que prevê reajuste escalonado de 4,17% a prefeito e auditores

Proposta foi votada nesta terça-feira na Câmara

Os vereadores de Campo Grande aprovaram por 20 votos favoráveis e 5 contrários o reajuste de 4,17% ao prefeito e aos auditores fiscais municipais. Votaram contra os vereadores Dr. Lívio (PSDB), Dr. Loester (MDB), Dr. Wilson Sami (MDB), Vinícius Siqueira (DEM) e André Salineiro (PSDB).

Não votaram os vereadores Dr. Cury, Papy (SD) e Enfermeiro Fritz (PSD) porque não foram à sessão, e o presidente da Casa, João Rocha (PSDB), que não vota. Os demais vereadores aprovaram a medida.

Dr. Lívio justificou que a maior parte dos servidores que serão atendidos pelo projeto já ganha acima do teto constitucional, apesar de não receber o valor por questões legais. “São pessoas que já têm salários ótimos”, criticou.

Eduardo Romero (Rede) afirmou que o reajuste nada mais era do que a recomposição por perda da inflação. “Existe inclusive previsão anual desse reajuste”, disse. O reajuste foi aprovado de forma escalonada e retroativa, dividido em acréscimo de 1% e, em dezembro, 3,1386%, completando o total.

Sem reajuste desde 2010, o salário do líder do executivo municipal é de R$ 20.412,42. No ano passado, foi encaminhado projeto para reajuste quando houve a discussão do aumento do teto salarial do STF (Supremo Tribunal Federal) e o subsídio poderia chegar a R$ 35.462,22, um aumento de 73%.

Mais notícias