Após flagra de petista pagando champanhe, Assembleia de MS promete abrir notas fiscais dos deputados

Todos os deputados terão notas fiscais divulgadas

Presidente da ALEMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), o deputado estadual Paulo Correa (PSDB) prometeu nesta terça-feira (17) durante sessão que a Casa vai disponibilizar no Portal da Transparência as notas fiscais de todos os parlamentares para que a população tenha acesso. O anúncio foi feito após a repercussão do flagrante ao deputado estadual Pedro Kemp (PT) por gastos com cerveja, chopp e vinho chileno.

O parlamentar usou a tribuna nesta terça para informar que verificou todas as notas fiscais e que achou, também, cervejas long neck que teriam sido pagas com verba da Casa. “Fui ressarcido por essas cervejas e já procurei a tesouraria da Assembleia para devolver esses valores”.

De acordo com o site Congresso em Foco, dados do Instituto Ops, que fiscaliza gastos públicos do Legislativo mostram um ressarcimento de R$ 1.748,50 que recebeu por gastos em uma pizzaria de Campo Grande com bebidas.

“Não foi intencional e eu acho salutar que a população acompanhe os nossos gastos. Gostaria de pedir também para que a auditoria da Assembleia tenha mais cuidado e oriente os deputados quando isso acontecer. Tive esse gasto em 2017, passou pela assessoria, pela auditoria da Casa e ninguém viu”.

Após o pedido, o presidente informou que os gastos dos parlamentares serão divulgados. “Conversei com o Zé Teixeira [1º Secretário] e vamos fazer uma reunião para apontar o quanto é devolvido aos deputados. Qualquer pessoa pode errar e um homem mostra o quanto é grande quando reconhece ser erro”, elogiou o deputado.

Bebidas

Segundo o petista, os gastos foram feitos durante uma confraternização com a equipe de gabinete dele em dezembro de 2017. Agora, quase 2 anos depois e apos a repercussão negativa, Kemp admitiu o erro e garantiu ao Jornal Midiamax que fará a devolução do ressarcimento indevido que ganhou através da verba indenizatória, dinheiro destinado teoricamente a cobrir despesas exclusivas de mandato.

“Fiz reunião com equipe de trabalho durante todo o dia e à noite fomos jantar. Na nota fiscal, entrou como prestação de contas, valores de bebida alcoólica, o que é irregular”, admitiu Pedro Kemp.

Conforme o deputado, a secretária dele fez a prestação de contas, que inclusive, passou pela auditoria da Casa de Leis. “Não viram. Sempre tive o cuidado de retirar valores de bebidas alcoólicas de notas de refeição”, disse.

O Instituto OPS teve acesso à nota fiscal e divulgou que o deputado foi ressarcido com a verba indenizatória. Não há dados oficiais disponíveis sobre o gasto. Na nota constam 42 bebidas alcoólicas, entre cerveja e chopp, além de duas garrafas de vinho chileno Carmen Carmenere.

Parlamentares têm direito à indenização com alimentação, mas para serem ressarcidos dos gastos, é preciso preencher e assinar um requerimento específico, junto com os comprovantes de gastos.

Conforme a reportagem do Congresso em Foco, o diretor-presidente do Instituto OPS e fundador da Operação Política Supervisionada, Lúcio Big encaminhará ofício à assembleia para que o caso seja apurado e o valor restituído aos cofres da casa. Kemp garantiu já ter acionado a tesouraria da ALEMS, para fazer a devolução do valor. “Me certifiquei e está errado”, concluiu.

 

 

Mais notícias