Após críticas, presidente nacional libera Eduardo Cury a deixar o Solidariedade

Vereador de Campo Grande espera ter anuência da Justiça Eleitoral antes de trocar de legenda

O vereador de Campo Grande Eduardo Cury está livre para deixar o Solidariedade. De acordo com o parlamentar e correligionários, o presidente nacional do partido, Paulinho da Força, liberou o edil a trocar de legenda sem que tente, posteriormente, tirar seu mandato na Justiça Eleitoral.

Cury havia declarado ao Jornal Midiamax sua intenção de trocar de partido por estar “descontente” com as posições do presidente nacional do Solidariedade, que é crítico do governo Jair Bolsonaro (PSL), enquanto o vereador é um dos principais defensores do atual presidente da República, na Câmara de Vereadores.

“O Solidariedade realmente, numa demonstração de alto nível ético, compreendeu a necessidade de me liberar. Estou muito confortável na situação porque posso fazê-lo a qualquer momento. Só que estou aguardando e preciso levar isso à Justiça Eleitoral para que haja sua anuência”, explicou Cury ao Jornal Midiamax, nesta quarta-feira (12).

O parlamentar da Capital diz que pretende deixar o partido sem que fiquem “pendências”, para não dar oportunidade de “terceiros”, inclusive o próprio Ministério Público Eleitoral, possam requerer sua cadeira no legislativo.

“O importante é que a conversa é em alto nível, absolutamente harmônica, educada, e uma percepção de uma gentileza e ética realmente de alto nível do partido Solidariedade”, concluiu Cury.

Críticas

Antes dessa relação harmoniosa, porém, Eduardo Cury não poupou Paulinho da Força de críticas. “Ele está contra o governo. É um camarada com ações e atitudes as mais espúrias possíveis. Eu não aprovo, por exemplo, o dinheiro jogado para cima de manifestantes. Ele é um falso democrata”, disse.

Mais notícias